VISITAS

terça-feira, 17 de maio de 2011

TÍTULO PRÓPRIO: “ Ele, Kafka “

Título da Obra: “ Kafka em 90 minutos “




Autor: Paul Strathern

Origem da literatura: Americana

Editora, Data da publicação, Páginas: Ed. Zahar, 2004, 102 páginas.

Descrição da estrutura: O livro se compõe de 7 partes, num total de 102 páginas.

Obra: “ Kafka em 90 minutos “ apresenta a biografia e as ideias do escritor demonstrando a importância do autor na literatura mundial, incluindo algumas citações de suas obras principais.
Franz Kafka, nascido em Praga, antiga Tchecoslováquia, atual República Tcheca, em 03 de Julho de 1.883 e morto de tuberculose pulmonar em 03 de Junho de 1.924, aos 40 anos, em Viena, Áustria.
Kafka era judeu, e havia poucos judeus de sucesso nas artes ou na literatura até então. Exceção se faz a um notável pensador judeu de origem holandesa do século XVII, chamado Baruch Spinoza.
Os traços de personalidade de Kafka ( sua própria natureza pouco consistente, além de acreditar na interpretação semântica de seu nome. Kafka significa “ corvo “ ) certamente serviram de alicerce para a confecção de suas obras, sendo que, esses traços estão atrelados à influência tirânica de seu pai, Hermann Kafka.
Kafka tinha algumas características que o perseguiram por toda a vida, influenciando de maneira inequívoca sua obra e sua vida pessoal. Dentre essas marcantes características destacam-se uma visão desiludida da vida, posicionava-se como vítima freqüente de uma auto-análise obsessiva e implacável, além de uma auto-consciência esmagadora. Também sofria de insônia, era hipocondríaco, indeciso ao extremo, tinha hábitos auto-destrutivos e era patologicamente reservado.
Apesar desses “predicados”, Kafka tinha alguns prazeres, tais como o Teatro Iídiche, passear pela Ponte Karlsbrücke, em Praga, fazer longas caminhadas pelo Altadt ( antigo bairro da região central de Praga ) e visitar o Hradcany ( o Castelo de Praga ). Era também prazerosamente atraído pelos escritores Gustave Flaubert e Thomas Mann.
Sua vida pessoal e sentimental fora ocupada, de modo relevante, por três mulheres. A primeira foi Hedwig, depois Felice Bauer e por fim, Dora Dymant.
Sua obra teve uma relação muito direta com seu tirano pai em duas oportunidades. A primeira delas foi um “presente” dado a seu pai, que o esnobou. Tal presente nada mais era que a 1ª impressão da publicação de “ Na Colônia Penal “. Numa segunda oportunidade Kafka esboça um acerto de contas com seu pai ao escrever “ Carta ao Pai “. Pena que esses manuscritos nunca tenham chegado às mãos do Sr. Hermann...

Família Kafka: O pai era Hermann Kafka, a mãe, Julie Löwy, três irmãs, sendo Ottla, a do meio, sua predileta, Eli, a mais velha, casada com o prepotente Karl Hermann. O avô paterno, Jacob Kafka e os tios maternos Alfred, Siegfried ( médico rural ) e Rudolf.

Amigo: Max Brod.

Momento histórico: Durante a vida de Kafka, Praga pertencia ao Império Austro-Húngaro e, juntamente com Dublin ( Irlanda ), compunha um dueto de cidades provincianas da periferia da Europa.
Dublin, em especial, deu origem a algumas pérolas da literatura universal como Oscar Wilde, James Joyce, Samuel Beckett e George Bernard Shaw.
Já a literatura de língua alemã da época era muito bem representada por Thomas Mann, Hermann Hesse e Bertold Brecht.
No campo das artes, em paralelo com a singular literatura de Kafka, surgia na pintura o momento do expressionismo de Marc Chagall.

Opinião: A obra tem a importância de deixar mais transparente a interpretação das obras de Franz Kafka através do detalhamento de sua personalidade e os momentos atrelados aos seus escritos. Trata-se de um pré-requisito para o início de leitura de qualquer obra sua.

Citações: ...” a resposta mais imediata para o absurdo é o riso “...
...” o cotidiano é um tribunal em perpétua sessão “...

Data da Resenha: 30 de Janeiro de 2.010

Autor da resenha: Márcio A. S. Ferraz.

Local: Alameda das Paineiras, 60 Itapevi – S.P

Nenhum comentário:

Postar um comentário