VISITAS

sábado, 26 de março de 2016

CARTA AO CHICO BUARQUE


                                                                   




Prezado Chico Buarque,

Estou INJURIADO.

Estou triste.

Talvez possa me ajudar.

Passei minha infância e parte da adolescência ouvindo que você era um artista de valor inestimável, porque foi muito combativo durante o regime militar, suas composições eram verdadeiras obras-primas, produto de sua concepção ideológica muito estruturada, apesar de sua tenra idade naquele momento, ídolo nos festivais de 1966 a 1968 e por aí vai.

TROCANDO EM MIÚDOS parece que caí no conto do vigário.
Nos últimos 15 anos nosso país está ladeira abaixo, nossa credibilidade moral ruiu, nossos valores se perderam, educação acadêmica está de mal a pior, a não acadêmica, essa então ...

Os mais otimistas dizem que essa fase VAI PASSAR.

Você disse que NÃO EXISTE PECADO AO SUL DO EQUADOR.
Não é bem assim.
Existe também corrupção que não acaba mais, violência, falta de saúde e de educação, corrupção “como nunca antes na história desse país”.
Isso me dá um DESALENTO e um DESENCANTO sem fim.
Em você, não ?

Nosso atual COTIDIANO é ficar à espera de quem será o próximo a desembarcar no aeroporto Afonso Pena.
Sim, esse é o aeroporto da República de Curitiba.
Essa República que nos tem dado alguma esperança e alento.
Esperança de que a partir dali a CONSTRUÇÃO de um novo país se estabeleça.
Enquanto isso, não temos remédio, não é Chico, vamos ter que ficar nessa RODA VIVA, até porque estamos na tão sonhada democracia.

Chico, será que seremos capazes de retomar o comando desse país com a dignidade que ele merece, livre desse CHORO DE MALANDRO, que finge ter um coração suburbano ou seria um SUBURBANO CORAÇÃO ?

Por falar em suburbano, Chico, isso me remete a subúrbio, que é como se diz aí no Rio. Aqui em São Paulo é periferia.
Saindo do Leblon, você conhece Olaria, São Cristóvão, Madureira ??
Aqui em São Paulo, conhece Ermelino Matarazzo, Capão Redondo, Parelheiros ???
Conhece ?

MEU CARO AMIGO, isso é Brasil real, que você só deve ter ouvido falar em jornal ou FOLHETIM.
Por favor, me corrija se eu estiver errado.
Desses lugares é que saem os verdadeiros PEDROS PEDREIROS.

Fico pensando, O QUE SERÁ que você pensa de verdade ?
Porque não é possível que alguém possa passar de uma BANDA para outra e perder a coerência ideológica do jeito que você perdeu.

Você conseguiu causar um DESENCONTRO entre sua obra toda e o seu próprio criador. Não há mais identidade entre tudo aquilo que você produziu nas décadas de 1960 e 1970 e você. Quem produziu aquilo tudo de forma genial, não existe mais. Sua obra ficará como uma TATUAGEM sem corpo.

Mas, DE TANTO AMAR esse país, vejo que é possível restaurar a dignidade quando olhamos para a República de Curitiba.
Um alento ...
Sua atitude ao mandar suspender a peça “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, em Belo Horizonte, porque um dos atores e diretor, Claudio Botelho, referiu-se à nossa presidenta como ladra, me faz pensar que você pensou assim :
__ CHEGA DE SAUDADE, do Costa e Silva e do Médici, CÁLICE, Claudio Botelho.

Chico, isso foi a GOTA D’ÁGUA !!!

VOCÊ NÃO ENTENDE NADA de Brasil.

Se Camus estivesse vivo, reescreveria o seu O Estrangeiro e você seria o protagonista.

QUEM TE VIU, QUEM TE VÊ ...

Seu comportamento será, ainda, muito útil.
Um contra-exemplo para o MEU GURI.

Você se tornou um manual básico de como não ter coerência e fundamentação ideológica.
É fácil passar por comunista ou socialista (coisas que não existem mais, se é que um dia existiu), da varanda de um apartamento do Leblon ou lá de Paris.

Mas, APESAR DE VOCÊ, e de gente que ainda apoia o PT e os comportamentos corruptos e que não tem um alicerce para justificar seus posicionamentos, o Brasil vai sair dessa !!!

E outra coisa, Chico, quando você diz que se a Dilma sair você não volta mais para o Brasil, saiba que não fará falta e, sinceramente, estou contando os  minutos para ouvir o seu BYE, BYE BRASIL.

Um abraço e Feliz Páscoa !!